Trabalho em:

Dúvidas frequentes

Voltar
  • Como faço para conhecer a rede de distribuidores e representantes da Saint-Gobain Canalização?

    A rede comercial da Saint-Gobain Canalização pode ser encontrada no menu Onde Encontrar do site e podem ser visualizados clicando aqui.

  • Como faço para solicitar uma proposta?

    Envie um e-mail com o seu pedido para: proposta.pam@saint-gobain.com.

  • Como posso adquirir o catálogo da Saint-Gobain Canalização?

    Os catálogos estão disponíveis na aba Downloads e podem ser visualizados clicando aqui.

  • Como faço para baixar os softwares da Saint-Gobain Canalização?

    Os softwares estão disponíveis na aba Downloads e podem ser visualizados clicando aqui.

  • O que é o Pam Academia?

    O PAM Academia é um programa oferecido pela Saint-Gobain Canalização que tem como objetivo aperfeiçoar a formação técnica e prática dos participantes no dimensionamento e instalação de adutoras, emissários e redes de abastecimento em projetos que utilizem o ferro fundido dúctil. Cada módulo possui uma disciplina específica, sendo eles: Transiente Hidráulico, Projeto, Qualidade, Mineração, Montagem e Manutenção e Construção Civil. O programa inclui ainda visitas técnicas ao processo produtivo, laboratórios e atividades práticas que são realizadas no centro de demonstração da Saint-Gobain Canalização.

    Para mais informações clique aqui.

  • Quais serviços técnicos são oferecidos pela Saint-Gobain Canalização?

    Os serviços técnicos oferecidos são:

    • Acompanhamento de projetos

    • Análise de viabilidade econômica

    • Cálculos de ancoragem

    • Estudos de deflexão angular e potencial corrosivo do solo

    • Acompanhamento da obra

    • Acompanhamento do teste de Estanqueidade

    • Assistência técnica permanente

    • Geofonia e medidor de vazão

    • Manutenção corretiva

     

    Para mais informações envie um e-mail para suporte_tecnico_canalização@saint-gobain.com.

  • Quais são os tipos de flange fabricados pela Saint-Gobain?

    O gabarito de furação dos flanges de fabricação padrão é conforme a NBR 7675 (ISO 2531) nos PNs 10, 16, 25 e PN40 sob consulta. No entanto as peças também podem ser fabricadas com gabarito de furação de acordo com as seguintes normas americanas:

    • ANSI B 16.1 – 125 Ib

    • ANSI B 16.5 – 150 Ib

    • AWWA C 207 Classe D/E.

  • Qual o coeficiente de Hazen-Williams.

    O coeficiente de Hazen-Williams para o ferro fundido dúctil é 140.

  • Quais são as áreas de atuação da Saint-Gobain Canalização?

    Os produtos da Saint-Gobain Canalização atendem a diversas aplicações em mercados como:

    Saneamento: Adução de água bruta, água tratada e esgoto.

    Indústria: Adução de água bruta, água tratada, água salgada, efluente, incêndio e vinhaça.

    Mineração: Adução de água bruta, água tratada, efluente e transporte de polpa.

    Construção Civil: Sistemas SMU, Tradicional e Epams.

  • Quais válvulas são fabricadas pela Saint-Gobain Canalização?

    A Saint-Gobain Canalização fabrica válvulas de gaveta com cunha de borracha modelo Euro 20, conforme norma NBR 14968, válvulas de gaveta com cunha metálica, conforme norma NBR 12430, válvula borboleta, conforme norma americana AWWA C 504 classe 150B, série corpo curto, válvula de fluxo anular, conforme norma ISO 5208 e ventosas simples e de tríplice função.

  • Quais os tipos de revestimento podem ser aplicados nos tubos e conexões de ferro fundido dúctil?

    Tubos:

    Revestimento Interno:

    Argamassa de cimento de alto forno conforme norma ABNT NBR 8682.

    Argamassa de cimento aluminoso conforme norma ABNT NBR 15420.

    Revestimento externo:

    200 g/m² de zinco metálico conforme norma ABNT NBR 11827.

    Pintura de acabamento em betume anticorrosiva ou epóxi conforme norma ABNT NBR 7675.

    Conexões:

    Revestimento Interno:

    Pintura de acabamento em betume anticorrosiva ou epóxi conforme norma ABNT NBR 7675.

    Revestimento externo:

    Pintura de acabamento em betume anticorrosiva ou epóxi conforme norma ABNT NBR 7675.

  • Qual o sentido preferencial de montagem das bolsas dos tubos?

    A Saint-Gobain Canalização não define um sentido preferencial de montagem para os tubos com bolsas do tipo JE2GS por não acarretar prejuízos na aplicação do produto. Isto ocorre devido à pressão interna que age de maneira equivalente em qualquer direção. Normalmente esta definição fica a critério do projetista que além de conhecer todos os detalhes do projeto, procura minimizar as interferências e as constantes mudanças de direção.

    Para montagem de tubos em declividade, no entanto, é importante garantir a estabilidade da canalização e o atrito do tubo com o solo. Sendo assim, a Saint-Gobain Canalização recomenda que as bolsas dos tubos estejam orientadas para cima, o que permitirá uma melhor ancoragem do conjunto.

    Existem ainda outros dois casos especiais para o assentamento dos tubos em declives:

    1º Caso: Quando o declive ultrapassar os 20% numa montagem aérea

    • Recomendamos o uso de pilaretes de concreto posicionados atrás de cada bolsa de tubo com juntas JE2GS, com colares de fixação (abraçadeiras). As bolsas devem ser orientadas para cima a fim de favorecer o apoio sobre os pilares.

    • Recomendamos a construção do bloco de ancoragem na base (cabeceira) do declive.

    • Para o caso de utilização de juntas do Tipo Junta Travada Externa (JTE) e Junta Travada Interna (JTI) é dispensada a construção do bloco de ancoragem na base (cabeceira) do declive, salvo recomendação do projetista.

    2º Caso: Quando o declive ultrapassar os 25% para uma montagem enterrada

    • Recomendamos que as bolsas dos tubos estejam orientadas para cima a fim de favorecer o atrito com o solo;

    • Recomendamos a construção do bloco de ancoragem na base (cabeceira) do declive;

    • Para o caso de utilização de juntas do Tipo Junta Travada Externa (JTE) e Junta Travada Interna (JTI) é dispensada a construção do bloco de ancoragem na base (cabeceira) do declive, salvo recomendação do projetista.

  • É possível interligar o ferro fundido dúctil com outros materiais?

    Sim, a interligação pode ser realizada através dos adaptadores Ultraquick e Ultralink ou através da ligação direta com tubos de PVC DEFoFo e PRFV com diâmetro equivalente aos diâmetros dos tubos de ferro fundido.

    A luva Ultralink permite unir duas extremidades da tubulação. A concepção da junta de grande tolerância possibilita a união de tubos com diâmetros externos ou materiais diferentes. Segue abaixo algumas características deste produto:

    - União de pontas com diâmetros diferentes;

    - DNs 50 a 300mm;

    - Deflexão angular admissível no assentamento (união) = 2°;

    - Pintura interna e externa com epóxi;

    - União de tubulações de ferro fundido cinzento, ferro fundido dúctil, aço, PVC, fibrocimento, entre outros.

    O adaptador de flange Ultraquick permite a união do flange de qualquer equipamento à ponta de outro material e aceita uma gama de diâmetros externos dos seguintes materiais:

    - Tubulações de ferro fundido cinzento, ferro fundido dúctil, aço, PVC e fibrocimento.

    - DNs 50 a 300mm

  • Qual a deflexão máxima admissível dos tubos e conexões de ferro fundido dúctil com bolsa?

    A deflexão máxima admissível e o afasstamento por faixa de diametro encontram-se na tabela abaixo:
    Table máxima admissível

  • Qual a recomendação da Saint-Gobain Canalização para fixação dos tubos sobre os pilaretes?

    Para a realização da montagem sobre os pilaretes, deve-se considerar a utilização de um caminhão munck compatível com o peso dos tubos. As dimensões e quantidades de pilaretes serão definidas pelo projetista em função das características técnicas do projeto, mas destacamos abaixo algumas informações importantes:

    • Um pilarete por tubo ou para cada vão livre;

    • Berço de apoio (a = 120°) com proteção de manta de borracha (4,0mm);

    • Abraçadeira com proteção de manta de borracha (4,0mm);

    • Ancoragem dos elementos submetidos aos empuxos hidráulicos.

    A tabela abaixo demonstra a composição dos vãos livres permitidos para tubos ponta e bolsa com junta elástica JE2GS Standard e também as juntas travadas interna - JTI e externa JTE.

    Para mais informações envie um e-mail para suporte_tecnico_canalização@saint-gobain.com.

  • Qual a recomendação da Saint-Gobain Canalização para o cordão de solda da Junta Travada Externa (JTE)?

    Existem duas situações onde é necessário aplicar o cordão de solda:

    • Quando o tubo fornecido possuir o cordão de solda original de fábrica e tiver o comprimento reduzido para ajustes de montagens e com isso o cordão de solda for eliminado no corte;

    • Quando o cliente possuir o tubo Standard K7 ou K9 e o utilizar para a montagem de JTE. Neste caso, devem-se respeitar os dimensionais de espessura e pressão previstos em norma.

    Equipamentos e materiais necessários:

    • Máquina de solda com os acessórios e amperagem mínima de 150 A;

    • Equipamentos de segurança;

    • Esmeril manual pneumático ou elétrico;

    • Eletrodos de FeNi (mínimo de 60% de Ni)

    • Anel guia de cobre para a execução do cordão de solda (dimensão segundo Diâmetro Nominal - DN).

    Preparação da superfície:

    • Traçar uma linha de referência para a confecção do cordão de solda, de acordo com o DN do tubo.

    • Esmerilhar cuidadosamente a superfície do tubo sem comprometer a espessura do metal, com uma largura de ± 40,0 mm onde será realizado o cordão de solda.

    • Posicionar o anel guia sobre a superfície esmerilhada do tubo e apertá-lo.

    Posição do cordão de solda

    • O depósito da solda deve ser encostado no anel guia de cobre, com uma inclinação de 40º.

    Acabamento:

    • Após a confecção do cordão de solda, retirar o anel guia e utilizar a escova de aço para limpar bem a superfície.

    • Aplicar uma demão de tinta rica em zinco por cima do cordão de solda e em seguida uma demão de tinta betuminosa e/ou epóxi para finalizar.

     

    Para mais informações envie um e-mail para: suporte_tecnico_canalização@saint-gobain.com